Quinta-Feira, 23 Novembro de 2017 RSS
 
Página inicial Mapa do Portal Contacte-nos
SIG Caminha

Galeria de Fotos

Galeria de Vídeos

biblioteca

 
 
Para visualizar as imagens rotativas tem que instalar o leitor de flash, clique aqui.
Balcão Único do Prédio já funciona na Conservatória de Caminha e uma unidade móvel vai deslocar-se às freguesias
CONCELHO ASSUME HOJE O DESAFIO DE IDENTIFICAR E REGISTAR  GRATUITAMENTE 95% DOS SEUS PRÉDIOS RÚSTICOS
CONCELHO ASSUME HOJE O DESAFIO DE IDENTIFICAR E REGISTAR GRATUITAMENTE 95% DOS SEUS PRÉDIOS RÚSTICOS
Imprimir Enviar Partilhar
CONCELHO ASSUME HOJE O DESAFIO DE IDENTIFICAR E REGISTAR GRATUITAMENTE 95% DOS SEUS PRÉDIOS RÚSTICOS
Política | 2017-11-07

Noventa e cinco por cento dos prédios rústicos (agrícolas e florestais) do concelho de Caminha não estão registados. Inverter esta realidade é o desafio que agora começa, através projeto-piloto de registo de terras que hoje arrancou formalmente, com a presença da secretária de Estado da Justiça. Esta é uma grande oportunidade para todos os proprietários, uma vez que todo o processo é gratuito, durante um ano. O Balcão Único do Prédio (BUPi) está centralizado na Conservatória de Caminha, mas o Município dispõe também de uma unidade móvel que em breve vai começar a percorrer as freguesias. É uma autêntica “conservatória sobre rodas”, conforme frisou Miguel Alves, que vai auxiliar as pessoas.  


Caminha integra desde hoje o “pelotão da frente”, composto por dez municípios (entre os 308) e assume um grande desafio, uma vez que detém entre os dez (e porventura entre muitos outros) a pior situação em termos de cadastro agrícola e florestal, com apenas 5% das terras registadas, ou seja, entre todo este território, só se encontram formalmente identificados através com competente registo 5% dos proprietários. 
 
“Há um longo caminho a percorrer. Quando sabemos que destes 10 municípios, Caminha na relação entre a   área registada e área existente, é o concelho com a percentagem mais baixa, compreendemos que temos um longo caminho a percorrer, que está mensurado, são 95%. Assumimos o desafio”, sublinhou o presidente da Câmara, que pediu o apoio, nesta grande tarefa, das juntas de freguesia, baldios, associações florestais, paróquias e pessoas.


Em Caminha, como nos restantes nove municípios, houve um trabalho de retaguarda que antecedeu o arranque deste projeto. A Secretária de Estado explicou que foi decidido reunir quatro ministérios, que juntaram as suas fontes de informação e chegaram à conclusão do que falta registar, no caso de Caminha, 95% do território.


Os ministérios da Justiça, Finanças, Agricultura e Ambiente construíram a informação de base – “e foi com essa informação de base que pudemos saber de onde partimos. Já sabemos por onde vamos começar em cada um dos dez municípios e esperamos que o sucesso nos dê a massa crítica para estender o projeto ao resto do país”, disse Anabela Pedroso.


Na cerimónia desta manhã, em que participaram, entre outros, o bastonário da Ordem dos Solicitadores, José Carlos Resende; João Paulo Catarino, coordenador da Unidade de Missão para a Valorização do Interior; presidentes de juntas de freguesia do concelho, responsáveis dos baldios e vários outros responsáveis, ficou claro que este é um projeto de vanguarda: “o concelho de Caminha teve a confiança do Governo, teve a confiança das instituições. Vamos agarrar a oportunidade que temos para identificar os proprietários de todos os terrenos rurais e florestais”, frisou Miguel Alves.


Além disso, continuou, “este é um dever de cidadania, de contribuir para que sejamos um país mais forte, em que as instituições possam comunicar entre si. Estamos hoje a começar a descobrir o nosso país. Nós descobrimos mundos e agora estamos a descobrir o nosso país. E estes sistemas informáticos, os técnicos das conservatórias e das câmaras são os nossos descobridores. Navegando na Internet.  É uma obrigação, é uma responsabilidade e é um privilégio”.


Remetendo para as recentes catástrofes provocadas pelos incêndios florestais, Miguel Alves disse: “olhamos para a televisão e temos a tentação de dizer que há responsáveis políticos que não fazem nada. Que temos de identificar o território, que não sabemos de quem são as parcelas. Agora a responsabilidade já não é só dos políticos. Estamos aqui a assumir as nossas responsabilidades. É das pessoas também e queremos pedir às pessoas que nos ajudem a identificar os proprietários. Vamos trabalhar em conjunto. Deixo um grande apelo – é gratuito fazer o que tem de ser feito. Durante este ano o registo é gratuito e facultativo, daqui a um ano será obrigatório e será pago”.


CONCELHO ASSUME HOJE O DESAFIO DE IDENTIFICAR E REGISTAR  GRATUITAMENTE 95% DOS SEUS PRÉDIOS RÚSTICOS
CONCELHO ASSUME HOJE O DESAFIO DE IDENTIFICAR E REGISTAR GRATUITAMENTE 95% DOS SEUS PRÉDIOS RÚSTICOS
CONCELHO ASSUME HOJE O DESAFIO DE IDENTIFICAR E REGISTAR  GRATUITAMENTE 95% DOS SEUS PRÉDIOS RÚSTICOS
CONCELHO ASSUME HOJE O DESAFIO DE IDENTIFICAR E REGISTAR GRATUITAMENTE 95% DOS SEUS PRÉDIOS RÚSTICOS
 
Notícias da mesma categoria
CASA CHEIA NA APRESENTAÇÃO DOS PLANOS DO MUNICÍPIO PARA O CENTRO HISTÓRICO DE CAMINHA
2017-11-23
CÂMARA VAI APRESENTAR PUBLICAMENTE O PLANO ESTRATÉGICO DE REABILITAÇÃO URBANA PARA AS ÁREAS DE CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA
2017-11-20
REUNIÕES DESCENTRALIZADAS COMEÇAM ESTE MÊS NA FREGUESIA DE ARGA
2017-11-16
AUTARCAS DOS CONCELHOS RIBEIRINHOS DO MINHO ASSINARAM ATAS ANUAIS DE RECONHECIMENTO DE FRONTEIRA A BORDO DO N.R.P. RIO MINHO
2017-11-15
EXECUTIVO CAMINHENSE REÚNE QUARTA-FEIRA
2017-11-14
 
 
mais notícias »
 
Vídeo em destaque
Mais Vídeos
 
Calendário
Agenda cultural
CAMINHO DA LEITURA
2017-11-11 até 2017-12-02
CAMPANHA LAÇOS DE NATAL
2017-11-13 até 2017-11-30
CONCERTO DE GABI BUARQUE
2017-11-25
Newsletters e SMS's

Newsletter

Água e Saneamento
Agua

Município na rede

facebook youtube  Twitter

Município de Caminha-2009, Todos os Direitos Reservados | Política de Privacidade e Segurança | Ficha Técnica
Valimar P.O.C. Valimar