Passar para o Conteúdo Principal
Top
Logótipo
  • Facebook
  • Youtube
  • Twitter
  • RSS feed

Marionetas solidárias de Portugal e da Galiza animam Caminha com espetáculos em sala e ‘online’

Marionetas solidárias de Portugal e da Galiza animam Caminha com espetáculos em sala e ‘online’
24 Novembro 2020

A Festa da Marioneta volta a animar Caminha no primeiro fim de semana de dezembro, mas num formato híbrido, com atividades em sala e ‘online’ devido às restrições impostas pelo estado de emergência no país, num programa “solidário” e feito a pensar para cativar as famílias.
A Maluga - Festa da Marioneta Luso Galaica que a Krisálida realiza anualmente, há seis anos, no Concelho de Caminha, deveria alargar-se em 2020 a Vila Nova de Cerveira e a Viana do Castelo, sendo um dos pontos altos da temporada da companhia, mas será condicionado pela pandemia de covid-19 e pelas medidas de prevenção sanitária instituídas pelas autoridades.
Segundo Carla Magalhães, diretora artística da Krisálida, esta sexta edição da Maluga será centrada no concelho de Caminha, com um “programa mais reduzido” em que as atividades propostas “permitem manter toda a segurança do público”.
“Assim, apresentamos espetáculos apenas em sala e as oficinas de construção de marionetas em versão ‘online’. Um programa pensado para as famílias poderem usufruir de atividades com grande qualidade artística e com a segurança que nos é exigida”, afirmou Carla Magalhães.
A Festa da Marioneta Luso Galaica, que encerra a primeira metade da temporada artística, decorre de 05 a 08 de dezembro e é promovida pela Krisálida, numa parceria com a Câmara Municipal de Caminha, reunindo anualmente companhias de marionetas de Portugal e da Galiza (Espanha), entre espetáculos em sala e na rua, mas também com ‘workshops’ temáticos para todas as idades e representações nas escolas.
Marionetas de Portugal e da Galiza sobem ao palco em Caminha e Vila Praia de Âncora
Depois de se ter apresentado nas suas cinco edições como uma festa aberta a todas as tendências e reflexões à volta das formas animadas, o programa deste ano passará ao formato híbrido, com espetáculos no período da manhã e as oficinas divertidas transmitidas ‘online’ através da plataforma “Zoom”, durante a tarde. As Inscrições poderão ser feitas num formulário disponível na página da Krisálida no Facebook e também através do email: geral@krisalida.pt
A Maluga de 2020 arranca no sábado, 05 de dezembro, pelas 11:00, com a companhia Teatro e Marionetas de Mandrágora a levar ao palco do Teatro Municipal Valadares, em Caminha, a peça “Aurora”.
No mesmo dia, às 15:00, acontece a Oficina Divertida, em formato ‘online’, com a construção de Marionetas de Papel, intitulada “Caixa das Histórias Ensarilhadas”, também pelas mãos da companhia de Teatro e Marionetas de Mandrágora.
No domingo, 06 de dezembro, o Teatro Municipal Valadares recebe às 11:00 a companhia Fantoches Baj, da Galiza, Espanha, a peça “Os Romeiros do Caracol”. À tarde, pelas 15:00, a Krisálida promove igualmente ‘online’ a Oficina Divertida, com a construção de Marionetas de Varetas – Orelhudos.
A encerrar esta Festa, no feriado de 08 de dezembro, sobe ao palco do Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora pelas 11:00 a peça “Os três porquinhos”, pela Jangada Teatro, de Lousada.
Marionetas apoiam crianças com dificuldades
Num ano marcado por dificuldades transversais a toda a sociedade, a Krisálida, juntamente com a Câmara Municipal de Caminha, decidiu fazer reverter a bilheteira desta sexta edição da Maluga a favor da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Caminha, para a compra de alimentos que ajudarão a enriquecer os cabazes de Natal que a CPCJ de Caminha prevê distribuir por famílias do concelho sinalizadas.
Além disso, nesta edição da Festa da Marionetas, o público poderá, para além de assistir aos espetáculos, entregar bens alimentares (como azeite, enlatados, farinha, açúcar, bolachas tipo sortido, frutos secos, compotas e chocolates) na entrada dos espaços culturais, que irão integrar os cabazes de Natal.
“De forma a dar algum conforto àqueles que passarão o Natal com maior dificuldade”, explicou Paula Valença Dias, presidente da CPCJ de Caminha, que prontamente acolheu a iniciativa da Krisálida.
Maluga é referência na temporada da Krisálida
Para além de se apresentar como uma mostra eclética de espetáculos reveladores do atual panorama do mundo das marionetas, a Maluga promove habitualmente uma série de outras iniciativas complementares, de âmbito lúdico e pedagógico, e que têm garantido uma aproximação relevante aos diversos públicos, como é o caso das oficinas de construção de marionetas, exposições, debates e as animações de rua.
Apesar das condicionantes impostas pelo estado de emergência e pela preocupação sanitária com a pandemia de covid-19, a Maluga continua a ser uma referência na temporada artística da Krisálida.
A Krisálida - Associação Cultural do Alto Minho é uma companhia profissional de teatro com sede em Caminha, Viana do Castelo, criada em outubro de 2014, que desenvolve uma atividade cujo principal objetivo consiste na captação de públicos, assente numa estreita relação com as comunidades locais procurando descentralizar e democratizar o acesso ao teatro a todos. Para isso, cria espetáculos de teatro que possam chegar a espaços não convencionais e ser apresentados nos mais diversos locais, espetáculos com qualidade estética e artística e que falam sobre assuntos que nos parecem importantes e pertinentes, que nos movem como cidadãos e artistas. Cria ainda espetáculos com um cariz pedagógico que depois circulam pelas escolas do distrito.
Na atual temporada, a Krisálida já promoveu em setembro o acolhimento do Teatro das Beiras e da peça “Pequeno retábulo de García Lorca”, no Cineteatro de Vila Praia de Âncora, e em outubro, no Teatro Municipal Valadares, de Caminha, a companhia Peripécia Teatro, com a peça “O ensaio dos abutres”.
Estas duas representações inseriram-se no programa “Krisálida Acolhe”, em que a companhia recebe em Caminha companhias teatrais nacionais e internacionais parceiras que partilham das mesmas preocupações artísticas, para melhor conhecer o trabalho de várias estruturas de criação e mostrar o trabalho artístico feito noutras paragens. Na última semana de outubro a Krisálida estreou ainda a peça “Caldo Verde”, a primeira produção própria nesta temporada, de Rui Ramos, encenada por Nuno J. Loureiro.