Passar para o Conteúdo Principal
Top
Logótipo
  • Facebook
  • Youtube
  • Twitter
  • RSS feed

Requalificação da frente ribeirinha de Caminha em curso num investimento de cerca de meio milhão de euros

Requalificação da frente ribeirinha de Caminha em curso num investimento de cerca de meio milhão ...
22 Fevereiro 2021

A marginal de Caminha está a ser intervencionada. Trata-se de um espaço belíssimo, muito procurado, mas que se encontrava degradado. O investimento em curso, de cerca de meio milhão de euros, criará uma ecovia com novas condições para peões e ciclistas, recuperando da melhor forma a relação de Caminha com o estuário do rio Minho.

O projeto que já se encontra no terreno - “Requalificação e Revitalização da Frente Ribeirinha de Caminha - Ecovia” - consiste numa intervenção ao longo da área da marginal de Caminha, uma nova ecovia que vai ligar a zona do Estaleiro do Quintas ao local onde está o Posto Náutico, criando uma via pedonal e clicável de elevada qualidade, articulada com a rede viária, com os outros meios de transporte e com os locais de estacionamento existentes, em consonância com as medidas previstas no âmbito do PAMUS 2020 – Plano de Ação para a Mobilidade Urbana Sustentável.

Esta é mais uma intervenção estruturante na marginal, que se junta à já realizada no novo cais dos pescadores de Caminha, inaugurado em maio de 2018 pela então ministra do Mar, Ana Paula Vitorino. A obra representou um investimento de cerca de 800 mil euros, permitindo triplicar a área útil do cais, prolongando ainda a zona de atracação de barcos. Esta obra incluiu também a reparação e beneficiação da rampa-varadouro, a recuperação das escadas para acesso às embarcações, a instalação de um novo guincho na rampa e a melhoria do sistema de iluminação.

Além do aspeto estético, o cais, que agora ficará globalmente integrado no espaço da ecovia, veio dar resposta aos anseios da classe piscatória da Vila, garantindo a melhoria das condições de trabalho dos pescadores e da operação portuária.

Muito em breve começará também a construção do novo Mercado Municipal, outro espaço degradado na frente ribeirinha que vai desaparecer a curto prazo, dando lugar a um equipamento moderno e equilibrado, um polo de atração com condições de funcionalidade e conforto para visitantes e comerciantes.