Passar para o Conteúdo Principal
Top
Logótipo
  • Facebook
  • Youtube
  • Twitter
  • RSS feed

Projeto “Reciclar a Compostar” alargado a todo o concelho

Projeto “Reciclar a Compostar” alargado a todo o concelho
19 Janeiro 2023

A Câmara Municipal de Caminha vai alagar o projeto “Reciclar a Compostar” a todo o concelho, tendo conseguido fazer aprovar uma segunda candidatura, que reforça a dotação inicial conseguida na 1ª fase, num investimento total de mais de 84 mil euros. O projeto “Reciclar a Compostar” inclui-se no âmbito das estratégias delineadas pelo Município de Caminha na área da sustentabilidade ambiental, nomeadamente no que se refere ao desenvolvimento de um sistema de recolha de biorresiduos, promovendo a redução da deposição em aterro.
Quem vive em Caminha e ainda não tem um compostor doméstico pode agora consegui-lo. Depois de uma primeira fase, a segunda disponibiliza equipamentos para todo o concelho, bastando que os candidatos sigam o procedimento habitual inscrevendo-se junto da Câmara Municipal, através do formulário próprio que se encontra online.
Ao todo serão investidos neste projeto amigo do ambiente 84 327, 00 euros. A operação “Reciclar a Compostar” tem como objetivo principal a redução do envio de biorresíduos para aterro, através da promoção da sua separação na origem e valorização para compostagem, através da implementação de medidas de incentivo e promoção da compostagem doméstica junto da população local e das entidades parceiras.
O projeto preconiza a estratégia do Município de Caminha no domínio de gestão de resíduos urbanos e do seu papel na transição para um modelo de economia circular, conforme previsto no Plano de Ação PAPERSU 2020 aprovado pelos órgãos municipais.
O Município de Caminha apresentou candidatura a financiamento para implementação do projeto ao Aviso n.º 8247/2021, do Fundo Ambiental, referente ao programa “Biobairros – da terra à terra”, no montante 36.480.00 euros (IVA incluído), que foi aprovada e que viabilizou a execução de uma primeira fase do projeto.
O projeto em curso prevê a promoção, junto da população local e das entidades parceiras, da compostagem doméstica através da distribuição porta-a-porta de compostores, distribuição nos estabelecimentos escolares do concelho e ainda aos utilizadores de parcelas das Hortas Urbanas – Quinta da Barrosa, incentivando à reciclagem na origem e à transformação de biorresíduos em composto. Neste âmbito, o Município de Caminha adquiriu compostores domésticos, para distribuição em duas freguesias do concelho (União da Freguesias de Caminha e Vilarelho e na freguesia de Vila Praia de Âncora), aos utilizadores de parcelas das Hortas Urbanas – Quinta da Barrosa bem como aos 23 estabelecimentos de ensino do Agrupamento de Escolas do concelho.
Em outubro de 2022, o Município apresentou candidatura ao programa “RecolhaBio – Apoio à Implementação de Projetos de Recolha Seletiva de Bioresíduos”, do Fundo Ambiental, para financiamento do projeto “Reciclar a Compostar (2ª Fase)”, com um investimento previsto de 47.847.00 Euros (IVA incluído), e que mereceu aprovação.
Esta 2ª fase do projeto pretende complementar as ações em curso no concelho de Caminha no âmbito das medidas ou ações destinadas a promover a redução da deposição de resíduos em aterro, alargando a área territorial de abrangência do mesmo, estando prevista a implementação de medidas de promoção da redução de deposição de resíduos de aterro, através das seguintes ações:Recolha seletiva de biorresíduos, nomeadamente ao nível da contentorização, nos eventos de grande dimensão promovidos pelo Município de Caminha; Promoção da compostagem doméstica nas restantes 12 freguesias do concelho; Promoção da compostagem doméstica nas diversas Instituições de Particulares de Solidariedade Social do concelho; Promoção da compostagem comunitária nas freguesias de Lanhelas, Seixas, União das freguesias de Caminha e Vilarelho, União de Freguesias de Moledo e Cristelo, Vila Praia de Âncora e Âncora; Concretização de iniciativas e atividades de sensibilização e de capacitação que contribuam para a adequada separação, para a divulgação da localização dos equipamentos, para a correta utilização dos equipamentos e para a utilização do composto resultante do desvio e reciclagem na origem dos biorresíduos.
Nos âmbitos acima referidos, o Município de Caminha pretende adquirir compostores domésticos e baldes para deposição de resíduos, para distribuição aos agregados familiares das freguesias de Âncora, Vile, Riba de Âncora, Seixas, Lanhelas, Vilar de Mouros, Argela, Dem, União das Freguesias de Arga (Baixo, Cima e São João), União das Freguesias de Moledo e Cristelo, União de Freguesias de Gondar e Orbacém e União de Freguesias de Venade e Azevedo.
A promoção da compostagem doméstica será também realizada junto das diversas Instituições de Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho que pretendam aderir. Em todos estes estabelecimentos existe produção de biorresíduos, quer de origem alimentar, dos refeitórios e cozinhas, quer resíduos verdes, com origem nos jardins e hortas existentes nos mesmos. Estes motivos, aliados à importância do projeto em termos ocupacionais para os utentes das instituições em causa justificam a implementação e o seu envolvimento no projeto.
Como projeto-piloto no âmbito da compostagem comunitária pretende-se ainda implementar 6 ilhas de compostores comunitários, em espaço público ou em áreas condomínios residenciais, envolvendo as Juntas de Freguesia bem como os colaboradores das mesmas, nomeadamente ao nível da gestão desses equipamentos e ao nível da sensibilização da população.
Prevê-se que sejam abrangidas pela instalação das ilhas de compostores comunitários as freguesias da área urbana do litoral do concelho, por serem aquelas onde existe um maior número de edifícios de habitação coletiva e moradias sem logradouro ou jardim que permitam a instalação de compostor doméstico. Serão abrangidas por estes equipamentos as freguesias de Lanhelas, Seixas, União das freguesias de Caminha e Vilarelho, União de Freguesias de Moledo e Cristelo, Vila Praia de Âncora e Âncora.

O projeto inclui ainda implementação de recolha seletiva de biorresíduos, nomeadamente ao nível da contentorização, nos eventos de grande dimensão promovidos pelo Município de Caminha. Para este efeito, serão adquiridos contentores destinados à deposição dos resíduos orgânicos produzidos nas diversas unidades do sector de restauração que habitualmente estão presentes nos eventos referidos. A recolha seletiva dos resíduos alimentares será articulada evento a evento, de acordo com os procedimentos de recolha de resíduos planeados para cada um.
A concretização de iniciativas e atividades de sensibilização e de capacitação está prevista através da realização de diversas ações de sensibilização, informação, formação e comunicação dirigidas aos público-alvo e às entidades parceiras. Serão produzidos conteúdos, a disponibilizar no site e plataformas digitais do Município, bem como realização de diferentes campanhas de comunicação.