Passar para o Conteúdo Principal
Top
Logótipo
  • Facebook
  • Youtube
  • Instagram
  • RSS feed

Miguel Alves destacou potencial de Lanhelas na reunião de câmara descentralizada

Miguel Alves destacou potencial de Lanhelas na reunião de câmara descentralizada
reuniao descentralizada Lanhelas 2
reuniao descentralizada Lanhelas 3
reuniao descentralizada Lanhelas 4
27 Março 2014
A Casa da Banda em Lanhelas acolheu ontem, ao final da tarde, a terceira reunião de Câmara descentralizada. Esta sessão pública contou com a inscrição de treze pessoas.

A Casa da Banda em Lanhelas acolheu ontem, ao final da tarde, a terceira reunião de Câmara descentralizada. Plano Diretor Municipal (PDM), Ecovia, Zona Industrial, intervenções em vários caminhos da freguesia, iluminação pública, trânsito, sinalização, Centro de Interpretação Arqueológico e questões de âmbito social, foram algumas das temáticas que estiveram na ordem do dia e que estão a preocupar os lanhelenses. Esta sessão pública contou com a inscrição de treze pessoas.

\r\n

Os lanhelenses interrogaram diretamente o presidente da Câmara e restante executivo. “Nós cá estamos. E estamos da melhor forma que sabemos estar. Estamos preparados para dar resposta aos vossos anseios, para que Lanhelas tenha um brilho ainda mais especial”, foi a mensagem deixada por Miguel Alves ao povo de Lanhelas. À semelhança do que aconteceu nas anteriores, também este ato público juntou o presidente da Câmara e restante executivo, a presidente e elementos da Junta de Freguesia de Lanhelas e todos aqueles que quiseram assistir e dar o seu contributo nesta nova forma de atuação da gestão camarária.

\r\n

Miguel Alves explicou o significado e a importância que estas reuniões têm: “são reuniões como as que se realizam nos Paços do Concelho, mas acontecem nas freguesias com o objetivo de ouvir os anseios das populações, que nos dão conta das suas preocupações. São momentos importantes para ouvirmos as pessoas sobre determinados assuntos, que muitas vezes desconhecemos e não estão nas nossas agendas”.

\r\n

Se por um lado, estas reuniões são importantes para executivo ouvir as populações, por outro, são também importantes “para darmos esclarecimentos e explicações sobre algumas matérias, bem como para ouvirmos as vossas críticas e para sermos avaliados”, disse o presidente.

\r\n

Também Josefina Covinha, autarca de Lanhelas, salientou que estas reuniões nas freguesias são importantes para fomentar o diálogo e para aumentar a proximidade com os munícipes: “desejo que o debate possa ser profícuo e esclarecedor, tanto para a população como para a Câmara Municipal”.

\r\n

Sobre o ponto da situação do PDM, Guilherme Lagido, vereador da Câmara Municipal de Caminha, explicou que o processo já iniciado estava “encalhado” em todos os lados. Contudo, para que o processo não atrasasse ainda mais, este executivo optou por retomar o que já existia com o objetivo de não se voltar à estaca zero. “O processo está longe do fim, mas nestes cinco meses já muito trabalho foi feito”, disse.

\r\n

Outra das questões colocada foi a pequena Zona Industrial, ao que Guilherme Lagido respondeu “no PDM está prevista uma zona industrial em Lanhelas que liga os dois polos já existentes”.

\r\n

As intervenções nos caminhos e ruas foram as questões mais focadas nas reuniões e são das que mais preocupam as populações. Também em Lanhelas, Miguel Alves salientou que, efetivamente, há muito para fazer em todas as freguesias: “o executivo tem que encontrar soluções. Mas não pode ser só para Lanhelas. Temos que pensar numa intervenção global e tomar opções para resolver os problemas mais urgentes e ainda temos que ver as questões orçamentais”. O presidente acrescentou: “as obras vão ser realizadas. Vamos fazer um plano que contemplará Lanhelas. Vamos tomar opções de acordo com o orçamento que tivermos e em articulação com as juntas de freguesia”.

\r\n

Sobre a ecovia, tanto o vereador Rui Teixeira, como o presidente da Câmara salientaram que a candidatura ainda se encontra em fase de avaliação.

\r\n

Miguel Alves, acerca do Centro de Interpretação Arqueológico, sublinhou que é necessário olhar para a riqueza arqueológica que existe no concelho: “é uma questão de elementar justiça para a população de Lanhelas que este equipamento possa ser instalado e que pode beneficiar Lanhelas, mas que beneficia em muito o concelho e os concelhos limítrofes”.

\r\n

Para Miguel Alves, Lanhelas é uma freguesia com um grande potencial e importante para o concelho: “Lanhelas tem um grande potencial: a sua ligação ao rio, a banda de música que é das mais antigas de Portugal e, mais do que a banda de música, a escola de música que quer perpetuar o nome geração após geração, que quer fazer crescer as nossas crianças, transforma o concelho, dá-lhe um toque especial. O nosso concelho não seria o mesmo sem Lanhelas. Lanhelas traz uma componente de arte e cultura e sobretudo de música que é importante sublinhar”.