Passar para o Conteúdo Principal
Top
Logótipo
  • Facebook
  • Youtube
  • Twitter
  • RSS feed

Caminha no topo do ranking dos melhores municípios para viver

Caminha no topo do ranking dos melhores municípios para viver
26 Outubro 2022

Estudo é do INTEC – Instituto de Tecnologia Comportamental e os dados preliminares foram divulgados hoje

Caminha é um dos três melhores municípios para viver, a nível nacional, considerando vários critérios, mas desde logo o ambiental. O estudo que coloca o concelho no topo do “ranking” foi realizado pelo INTEC – Instituto de Tecnologia Comportamental e os dados preliminares foram divulgados hoje pelo Jornal de Notícias. A iniciativa “Melhores Municípios para Viver” é um barómetro de avaliação da Qualidade de Vida nos Municípios, tendo por base os 10 domínios consagrados na Fundação Europeia para a Melhoria das Condições de Vida e de Trabalho (EUROFOUND).
De acordo com os dados já conhecidos, Boticas ocupa a primeira posição no que à qualidade de vida diz respeito, seguido de Caminha e Montalegre. Para o Presidente da Câmara, Rui Lages: “nós sabemos que é um privilégio viver no concelho de Caminha, mas é muito bom saber que há outras entidades, de fora, que fazem uma análise desapaixonada, objetiva, e que chegam a essa mesma conclusão. É uma excelente notícia para o nosso concelho, que nos encoraja, que nos dá ânimo e que reforça o nosso trabalho e a assertividade das decisões que temos tomado”.
No entanto, sublinha Rui Lages, “diz-se que a ‘sorte dá trabalho’ e no que respeita a garantir e manter a qualidade de vida é semelhante: dá trabalho - e estamos cá para isso, para trabalhar, e para fazer tudo para manter esta posição e para a melhorar. Todos os dias. Temos obtido outros bons resultados, noutros rankings, nas avaliações do Instituto Nacional de Estatística, do Instituto de Emprego e Formação Profissional. São leituras irrefutáveis, são indicadores que mostram que estamos no bom caminho, que nos animam, sem dúvida”.
O INTEC tem vindo a desenvolver esta iniciativa anualmente, em parceria com órgãos de comunicação social, desde 2008. Esclarece aquele organismo: “a nossa metodologia de auditoria tem por base uma metodologia mista que contempla indicadores objetivos, que se referem às condições de vida objetivas e materiais dentro de cada município (infraestruturas) assim como indicadores subjetivos, que se baseiam na opinião e perceção das pessoas acerca das condições de vida oferecidas pelos municípios”.